09/11/2011

Das vergonhas alheias...


Sério mesmo que essa pirralhada mimada (uma minoria no momento, sendo justa) da USP não encontrou nada melhor em que concentrar suas energias? Num país como o Brasil?

Estão certamente fazendo uma diferença memorável. Já podem se orgulhar de suas vidas, não foram em vão. Serviram para fazer vergonha alheia.

Os estudantes que então lutaram contra a Ditadura, ou pelas Diretas, ou ainda pelo impeachment já podem se recolher à sua insignificância...

E chilenos, aprendam com eles... É por isso que se luta!



8 verbalizaram comigo:

Dri Andrade disse...

Caraca hem mulher, arrebentou....
quem tiver na frente que saia correndo!! rsrs

Sem brincadeiras...concordo com vc, um bando de gente desavergonhada (como dizia a minha avó) e sem interesse real em estudar. Por que os q estão realmente continuam lá estudando em suas vidads normais.

É a cara do nosso país essa beixeza, infelizmente.

PS: Falei mal de vc la no blog hj, vai la ver,

beijossss

Dribook disse...

Estou lendo um livro sobre prevenção e tratamento de drogas o qual o autor
ressalta que esses "adolescentes" buscam impor um tempo próprio, o que se denomina um "tempo maníaco". Tudo deve acontecer "já e agora mesmo" . Apresentam uma baixa tolerância à frustração, complicada por mau controle dos impulsos.
Para os terapeutas eles são considerados impacientes e não pacientes.... Agora penso ...o que criamos!!!

Claudia disse...

Tudo é vergonhoso, a atitude dos universitários que reinvindicam bobagens e a polícia e o poder público com sua violência desnecessária...
Ainda falta muito pra nos comportarmos como cidadãos e também, sermos respeitados.
bj

Taís disse...

Dri: Corri lá e... aiaiaiai!
Que saudade imensa eu tenho desse lugar... nem imagina! É minha cidade do coração. Amor à primeira vista!
Desejo a vocês uma linda e romantica viagem.
Bjos

Dribook: a pergunta é justamente essa!! O que criamos?
É como essa frase que rola por aí e não sei de quem é: Nos preocupamos muito em deixar um mundo melhor para nossos filhos, mas deveriamos nos preocupar em deixar filhos melhores para o mundo. Bjos.

Claudia: é... que país é esse? Bjos

Alvaro Vianna disse...

Rebeldia sem causa. Falta direcionamento. Talvez porque, diferentemente dos tempos da ditadura, não haja um mal perfeitamente distinguível e isolável para ser combatido. Tomo como exemplo a corrupção dentro do poder público, o maior mal deste país e de outros. Como é que se mobiliza a juventude, bem como toda a sociedade, contra uma metástase como essa? "Ah! Vamos paralisar todas as unviversidades em protesto contra a corrupção!". Quem se abalaria?
Penso que temos ferramentas, hoje, para uma mobilização perene. Vejo terreno fértil. Plantemos bons princípios. Acredito que se arraiguem. Os jovens precisam de nós.

bjs

Nah disse...

Disse pouco, mas disse tudo!
Minha vergonha ainda é pior porque dizem que sou da geração deles. Eu discordo, claro! rsrsrs'
Bom começo de semana, Taís!

;))

Taís disse...

Alvaro: eu realmente não sei como se mobiliza todo mundo para isso, mas gostaria imensamente de saber, porque eu acho que é justamente o que todos deveriamos fazer. Há tantas e tantas coisas que precisariamos fazer por aqui... A minha geração foi a mais passiva de todas, não fizemos nada por ninguém, nem por nós msm. Só nos resta, como vc bem disse, plantar bons principios e torcer para que se arraiguem. Bjos

Nah: Que, como eu já disse no comentário acima, sua geração não seja tão passiva e permissiva como a minha. Que saibam lutar e mais, que saibam pelo que lutar, para que não façam papelões como esse. Ainda há tempo. E precisa-se de pessoas como vc :)) Ótima semana pra vc tb. Bjos

Nah disse...

Owww, brigada, Taís! (((:
Fiquei encabulada! kkkkk'
É verdade... Ter vontade de lutar, mas sem saber pelo quê num dá...
xêro!