02/12/2011

Que serais-je sans toi...

Que seria sem ti que vieste ao meu encontro
Que seria sem ti senão um coração adormecido
Senão os ponteiros parados  de um relógio
Que seria sem ti senão esse balbuciar

De ti aprendi tudo sobre as coisas humanas
E vi desde então o mundo a tua maneira
De ti aprendi como se bebe das fontes
Como podemos ler nas estrelas do céu distante
Como para o transeunte que canta retorna sua canção
De ti aprendi até o sentido da emoção

Quanto a mim aprendi tudo de ti
Que é de dia ao meio-dia, que um céu pode ser azul
Que a felicidade não é uma lâmpada de taberna
Tens me levado pela mão neste inferno moderno
Quando o homem não sabe o que significa ser dois
Tens me levado pela mão como um amante feliz

Quem fala de felicidade muitas vezes tem os olhos tristes
A decepção não é um soluço
Uma corda quebrada nos dedos de um guitarrista
E sem dúvidas lhes digo que a felicidade existe
Em outra parte que nos sonhos, em outra parte que nas nuvens
Terra, terra aqui estão seus portos desconhecidos.
  
Que serais-je sans toi - Louis Aragon (tradução "meio que" livre, assim todo e qualquer erro... mea culpa...)

E a poesia musicada por Jean Ferrat...



Nem vou falar nada, que é pra não estragar. Só que em francês soa muito melhor.

2 verbalizaram comigo:

Claudia disse...

Lindo...adorei...

Vindo aqui, tenho me educado, descoberto coisas novas.
Que bom!
Uma simples visita e depois curiosidade.
Obrigada.

(depois que vc falou de Shakespeare, achei aqui em casa "Sonho de uma noite de verão" e estou lendo)

Taís disse...

Claudia: Que legal que isto sirva pra alguma coisa... rs. Eu também adoro descobrir coisas e aprender. Depois me conta o que achou do livro.
bjos